sábado, 14 de março de 2015

Novo serviço SALUTAR: transporte com assistência e assessoramento ao idoso

 

A SALUTAR, atento as necessidades do idoso criou um novo serviço para facilitar as atividades de vida diária do nosso cliente.
O serviço de TRANSPORTE para:
  • Consultas médicas e exames
  • Compras e supermercados
  • Bancos e pagamentos de contas
  • Passeios  e visitas
O transporte é promovido por automóvel executivo com motoristas cuidadosos e sabedores das necessidades da pessoa idosa.
Atendimento com hora marcada e personalizado.
Agendar pelos seguintes telefones: 51 3344-5117 /51  9973-9336  /51  8411-1174
Falar com Maurício ou Marlene

domingo, 28 de dezembro de 2014

Atividade física na terceira idade


Além dos benefícios convencionais que a maioria das pessoas conhecem, pesquisas recentes revelam novos benefícios e motivos importantes de praticar atividades físicas na terceira idade.

Os exercícios físicos além de manter podem aumentar áreas dos cérebros de idosos. Estudo mostra que idosos que praticaram seis meses de atividades físicas, tiveram aumento nas áreas relacionadas ao raciocínio e memória no cérebro, o que é muito bom para o idoso, já que o processo de envelhecimento está relacionado a diminuição de estruturas do cérebro.

O treinamento com pesos em idosos também mostrou melhora nas estruturas cerebrais ligadas à cognição e à coordenação motora, o que é importante para evitar quedas. Além de os músculos e ossos ficarem mais fortes. E a prática de exercício aeróbico regular melhora a qualidade do sono e o humor, pois a maioria das pessoas passa por um estágio de relaxamento após os exercícios. Isso acontece pela maior produção de endorfinas durante a atividade física. Há também aumento na produção de melatonina, um hormônio envolvido diretamente com a boa qualidade do sono.

Os diabéticos que se exercitam regularmente têm uma taxa menor de complicações relacionadas à doença, como a retinopatia diabética, que acomete a retina em diabéticos não controlados. E muitos estudos em andamento têm mostrado que a prática de esportes é boa até mesmo nos diagnósticos de Alzheimer ou Parkinson.
 
Danielle Renck
Luciano Chaves

 

Fonte: Zero Hora
 
 

 

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Não se considerar idoso aumenta as chances de felicidade, diz pesquisa

A pesquisa Felizômetro de 2014 realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) entrevistou 632 pessoas que já passaram dos 60 anos. Revelou que as pessoas na terceira idade estão mais felizes. Oito em cada dez entrevistados se consideram satisfeitos com seu modo de vida atual.
Outra constatação interessante da pesquisa foi que enquanto o IBGE estima em 81,6 anos a expectativa atual de vida da população brasileira. Os entrevistados dão a si mesmo uma estimativa de 89 anos de idade. O levantamento indicou que a felicidade e saúde são questões inseparáveis para o grupo.
Segundo a psicóloga especializada em terceira idade, Simone Bracht a questão não é chegar à terceira idade e sim não se sentir velho. Todas as pessoas ao chegar à terceira idade vão passar por transformações que são normais e esperadas no corpo, como por exemplo, se sentir mais lento e precisar de óculos. E quem aceitar melhor essas perdas naturais e limitações consegue se sentir melhor consigo mesmo e por conseqüência ser mais feliz.
 
Além da saúde e do sentimento de não pertencimento ao grupo de terceira idade, outros fatores destacaram-se como importantes para aumentar as chances de atingir a felicidade. O índice ‘“Felizômetro” mostra que a independência na hora de consumir (14,5%), o fato de não precisar fazer empréstimos para adquirir produtos que não tinham acesso antes (13,9%), ter condições de gerir as próprias contas livremente (7,6%) e manter uma vida financeira melhor do que no tempo em que eram jovens (6,8%) são outros fatores que pesam consideravelmente para aumentar a probabilidade de ser feliz na vida dos idosos.
Aproveitar o tempo livre também é importante, atividades de lazer realizadas com muito mais frequência podem impactar em até 6,3% as chances de satisfação com o modo de vida. Ao mesmo tempo em que valorizam a diversão, os entrevistados mostram que os rumos da vida profissional têm peso na consolidação da própria felicidade: esse ponto  tem potencial para elevar a probabilidade de felicidade em 5,6%. Pois o fato de terem uma ocupação e se sentirem produtivos são fator chave da felicidade para quem está numa fase cuja imagem é construída como alguém improdutivo.
 
 
 
 
 
 
Danielle Renck
Luciano Chaves
Fonte: Zero Hora
 

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Doença de Alzheimer e qualidade de vida: uma realidade possível!


Envelhecimento não é sinônimo de doença, pois é possível envelhecer com saúde e qualidade de vida. O envelhecimento com ou sem doenças depende de fatores biopsicossociais, ou seja, as pessoas envelhecem de formas diferentes de acordo com os seus hábitos de vida e genética.

Mas durante o processo de envelhecimento podemos nos deparar com a Doença de Alzheimer que é uma das doenças que está em evidência na atualidade. Para buscar uma vida com mais qualidade o tratamento deve envolver diversas áreas da saúde em uma atuação transdisciplinar (fisioterapia, nutrição, psicologia, farmácia, enfermagem, etc...). A família e os cuidadores também devem ser incluídos no tratamento, como uma forma de estarem mais presentes e serem auxiliados e orientados em todos os âmbitos que a doença exige, desde um simples banho até como realizar atividades cognitivas e como proceder para o autocuidado, a fim de não adoecerem juntos.

Além do tratamento medicamentoso, exercícios físicos, alimentação adequada e os cuidados pessoais, devemos também desenvolver estratégias compensatórias de adaptação para estimular o paciente no que desrespeito as funções cognitivas comprometidas e realização de atividades diárias, conhecida também como estimulação cognitiva ou reabilitação cognitiva.

 Essa estimulação cognitiva como alternativa de tratamento não medicamentoso à Doença de Alzheimer se faz importante não só para o treino das funções cerebrais perdidas como também no controle de outros sintomas, promovendo assim o bem estar do paciente e o ajudando a viver melhor com as limitações que a doença lhe impõe.

 Estudos comprovam que quanto mais cedo o diagnóstico da Doença de Alzheimer for feito, mais efetivo é o tratamento. Por isso a importância da troca de conhecimentos e experiências e, principalmente, de informar a população sobre a doença, sintomas iniciais, alternativas de tratamento medicamentoso e não medicamentoso, e formas de se lidar com a pessoa no dia a dia.
 
Danielle Renck
Luciano Chaves
 
Fonte: Portal do Envelhecimento

domingo, 2 de novembro de 2014

Dia mundial do AVC chama a atenção para a doença que mais mata no Brasil


           No Brasil, o acidente vascular cerebral (AVC) ou derrame cerebral faz uma vítima a cada cinco minutos e atinge mais mulheres do que homens.

A proporção de vítimas da doença nos homens é de um a cada seis enquanto entre as mulheres é de uma a cada cinco. Pois elas possuem além dos fatores de riscos comuns a ambos os sexos (pressão alta, colesterol elevado, tabagismo, diabetes e arritmia cardíaca) alguns mais específicos como a gravidez, o uso de pílulas anticoncepcional e a reposição hormonal após a menopausa. Também, as mulheres tendem a viver mais em relação aos homens e o AVC costuma acometer as pessoas em idade mais avançada.

No dia 29 de outubro foi celebrado o Dia Mundial do AVC. Especialistas e voluntários se unem para desenvolver ações para alertar a população sobre os fatores de riscos da doença e as melhores formas de preveni-la. Esse ano a campanha mundial promovida pela Organização Mundial do AVC (WSO), foi batizada de "Eu sou mulher, o AVC me afeta". Em Porto Alegre, aconteceu uma corrida no sábado (01/11/2014) na Redenção para promover a prevenção.

Se adequadamente tratados, 90% dos AVCs podem ser evitados, por isso é importante ficar alerta nos principais sintomas que são fraqueza, formigamento na face, no braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo, confusão, alteração da fala e/ou compreensão, alteração na visão (em um ou ambos os olhos), alteração do equilíbrio, coordenação, tontura, alteração no andar e dor de cabeça súbita e intensa, sem causa aparente.

 

Danielle Renck

Luciano Chaves

 


 

domingo, 26 de outubro de 2014

Prevenção de Quedas na Terceira Idade


O perigo de queda é um fator crucial na vida dos idosos, pois está associado a riscos permanentes como dificuldade na visão, falta de equilíbrio e fraqueza muscular.

Segundo um levantamento realizado pelo SUS (Sistema Único de Saúde), 75% das lesões sofridas por pessoas com mais de 60 anos são causadas por acidentes domésticos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Ortopedia e traumatologia, 20% das pessoas com mais de 60 anos que sofrem fratura no fêmur morrem após um ano, em decorrência do agravamento de doenças já preexistentes no coração, pulmões e nos rins. Os que se recuperam, cerca de 30% a 40%  perdem a independência.

Para reduzir esses índices o Ministério da Saúde alertou a secretarias estaduais e municipais sobre a necessidade de promover ações de conscientização. Em São Paulo, a Secretaria Estadual de Saúde divulgou uma cartilha de Políticas de Vigilância e Prevenção de Quedas em Pessoas Idosas. O projeto visa orientar a população e profissionais da saúde com programas específicos de prevenção que visam uma alimentação saudável e atividades físicas que aumentam a resistência da população idosa. Também tem a finalidade de alertar sobre a importância do diagnóstico precoce da osteoporose, que, segundo dados da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, atinge mais de 10 milhões de pessoas, em sua maioria mulheres e idosos.

A fisioterapia tem papel importante pois além da reabilitação de lesões, tem um papel preventivo, ajudando a melhorar a qualidade de vida e evitando possíveis quedas e suas futuras complicações.

Mudanças do piso na prevenção de escorregões, sapatos adequados, colocar barra de apoio dentro do box e próximo ao assento sanitário, iluminação adequada em todos os cômodos da casa e principalmente perto da cama são alterações importantes para a prevenção de quedas. A adaptação desses ambientes faz com que o idoso tenha mais segurança e, consequentemente uma melhor qualidade de vida.

 

Danielle Renck

Luciano Chaves
 

quinta-feira, 31 de julho de 2014

www.salutarfisioterapia.com.br

É com grande alegria que comunico aos nossos queridos pacientes e seus familiares bem como aos amigos, a criação do NOSSO SITE:

www.salutarfisioterapia.com.br

Convido todos a visitar nosso site, o qual está repleto de informações sobre nossa equipe, áreas de atuação e como desenvolvemos o trabalho.