segunda-feira, 18 de maio de 2015

Gripe e campanha de vacinação


Gripe é o nome dado a uma doença altamente contagiosa que afeta o sistema respiratório, provocada por um vírus capaz de sofrer mutações com bastante frequência: o Influenzavírus, ou somente influenza. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias podem levar o agente infeccioso direto à boca, aos olhos e ao nariz.

Os sintomas, muitas vezes, são semelhantes aos do resfriado, que se caracterizam pelo comprometimento das vias aéreas superiores, com congestão nasal, tosse, rouquidão, febre variável, mal-estar, mialgia e cefaléia. A maioria das pessoas infectadas se recupera dentro de uma a duas semanas sem a necessidade de tratamento médico. No entanto, nas crianças muito pequenas, idosos e portadores de quadros clínicos especiais, o caso pode se complicar e gerar outras doenças graves, como a pneumonia bacteriana ou levando até mesmo ao óbito.

De acordo com o governo, 1.794 pessoas foram internadas no ano passado em decorrência de complicações da gripe e 326 morreram. A cepa H1N1 foi a que provocou o maior número de óbitos (163), seguido do H3N2 (105). Para prevenção dessa doença existe a vacina e todo ano o Governo faz a campanha da vacinação contra a gripe que tem um impacto muito grande na redução da mortalidade causada por essa doença.

A campanha de vacinação contra a gripe de 2015, já começou e vai até o dia 22 de maio. A meta deste ano é imunizar 49 milhões de pessoas. Indicada para a população em geral, porém a dose gratuita disponibilizada nos postos de saúde são para as pessoas que fazem parte do grupo vulnerável que são as crianças de 6 meses a menores de 5 anos, doentes crônicos, idosos com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, presos e funcionários do sistema prisional, além da população indígena.

A dose via injeção, protege contra os subtipos do vírus influenza: H1N1, H3N2 e B. A vacina é contraindicada a pessoas com histórico de reação anafilática em doses anteriores e a quem tem algum tipo de alergia grave à proteína do ovo, uma vez que a dose é produzida em embriões de galinha.  A vacina usada na campanha contra a gripe é segura e bem tolerada. Em poucos casos, podem ocorrer manifestações de dor no local da injeção ou endurecimento. Além disso, as pessoas que não tiveram contato anterior com os antígenos – substâncias que provocam a formação de anticorpos específicos – podem apresentar mal-estar, mialgia ou febre. Todas estas ocorrências tendem a desaparecer em 48 horas. E a imunização dura cerca de 6 a 12 meses.
 
 
Danielle Renck
Luciano Chaves

 

Fonte: G1, clicrbs e Portal Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário