domingo, 25 de novembro de 2012

Adaptações fisiológicas do sistema nervoso devido ao envelhecimento

O envelhecimento promove diminuição do peso e do volume cerebral, havendo atrofia cerebral e aumento dos ventrículos encefálicos. Aos 90 anos o encéfalo apresenta peso aproximadamente 10% menor que aos 30 anos. A perda de peso e volume parece se concentrar nos lobos frontais e temporais e, especialmente, no complexo amígdala-hipocampal do lobo temporal por causa de seu papel no aprendizado e na memória. Também há perda contínua no córtex dos giros pré-centrais, que corresponde à área motora primária, giros temporais e córtex cerebelar.
Há perda de neurônios piramidais com a idade, e aqueles não perdidos apresentam dilatações basais dos dentritos, com redução ou perda das espinhas dendríticas (responsáveis pela síntese de neurotransmissores), e diminuição da área de contato para sinapses.
Devido à perda de neurônios corticais mielinizados há diminuição da velocidade de condução neuronal e dificuldade de processamento em regiões do córtex cerebral onde a velocidade é muito importante. Embora essas perdas pareçam explicar a propensão para quedas como resultado da entrada mais lenta das informações sensoriais no sistema, ou um tempo de resposta motora retardado, não foi comprovada uma conexão entre a deficiência em uma parte do sistema e a função total do indivíduo. Além disso, não se sabe por que algumas pessoas conseguem atuar bem até uma idade bem avançada sem sofrer quedas.
O processamento das informações nas áreas cognitivas e emocionais do SNC não pode ser ignorado quando se consideram as alterações que ocorrem no SNC com o envelhecimento. Os profissionais de saúde precisam ter em mente que, quando o processamento ou o aprendizado de material cognitivo torna-se um problema, esta via de ajuda ao aprendizado motor pode ser perdida. Sem ajuda cognitiva, o procedimento de aprendizado dos programas motores tornar-se-á a única via para recuperar o controle funcional dos movimentos. Os princípios do aprendizado motor tornam-se preeminente para a otimização do ambiente terapêutico para melhorar o paciente.
No entanto, todas as alterações citadas anteriormente, nem sempre refletem mudanças funcionalmente importantes quando as atividades diárias dos gerontes saudáveis são analisadas. À medida que os seres humanos envelhecem, seus níveis de atividade mudam, e as escolhas de suas atividades variam tremendamente, bem como sua alimentação e saúde de um modo geral. Todos estes fatores estão diretamente relacionados a função do SNC e ao seu controle final sobre todo o corpo. A predisposição genética assim como os fatores ambientais determinam como o sistema nervoso atua e reage na pessoa idosa. À medida que os indivíduos envelhecem, eles tornam-se mais diferentes em vez de homogêneos, de modo que se torna difícil comparar um adulto com outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário